Pablo Picasso – Um gênio da pintura

Pablo Picasso- Um gênio da pintura

                           O prolífico pintor espanhol Picasso, cujo nome verdadeiro era Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santíssima Trinidad Ruiz y Picasso ficou mais conhecido popularmente pelas suas pinturas cubistas, coloridas e figurativas ‘distorcidas’. Nascido na cidade de Málaga, em Andaluzia, região sul da Espanha da Espanha, antes de iniciar o cubismo passou por duas fases antecedentes que marcaram igualmente sua famosa carreira artística e é referência na história da arte. A Fase Azul, que vai de 1901 a 1904. O nome desta fase representa o predomínio do pigmento utilizado levando a uma pintura quase monocromática. As obras desse período foram realizadas em Barcelona e Paris. Há uma sensação de depressão nas pinturas. Os temas predominantes são os ladrões, meninas de rua, velhos e doentes, abandonados, prostitutas e mãe com crianças. Ela retrata a fase de extrema dificuldades econômicas para o artista. Nela, ele começa a se afastar da pintura acadêmica e trilhar seu caminho e alguns admitem a referência a Coubert, Degas e Toulousse-Lautrec. Houve influência da literatura catalã clamando por justiça social. O repertório é restrito, Picasso trabalhou com figuras sentadas e cenas com duas pessoas com os braços cruzados. A principal característica é o pintor tentando capturar a atmosfera da melancolia. Azul representaria a melancolia, a solidão, o abandono a morte e, também, o erotismo. A morte de seu amigo, o pintor espanhol Carlos Casagenas, por suicídio aos 21 anos, teria contribuído para o desenvolvimento da fase azul.

A obra acima acima foi a primeira obra de Picasso, nessa nova fase, conhecida como “período Azul” que permaneceu entre os anos de 1901 a 1904, onde ele retrata o mundo dos pobres, discriminados e abandonados. As telas desse período demonstram bem a tristeza do artista nesse período.

 

 

Arlequim e sua companheira – Óleo sobre tela – 63×60 – 1901 – está no Museu Pushkin em Moscou
“A imagem foi pintada em Paris e desenvolve um tema típico do início de Picasso, um café de Paris, onde artistas e atores de circo se reúnem e encontram trabalho. Este é um dos primeiros exemplares de Picasso lidando com o que se tornou um tema-chave para ele, o destino do indivíduo criativo. A imagem trágica do artista viajando simboliza o pesado fardo que as pessoas assumem ao dedicar sua vida à arte e ao mal-entendido e à zombaria que enfrentam. Ivan Morozov comprou esta obra-prima de Picasso na galeria Ambroise Vollard, em Paris, no ano de 1908”.

 

A bebedora de absinto – Óleo sobre Tela – 73×54 – 1901 – Se encontra no Museu Hermitage em San Petersburg
Picasso pintou essa tela no ano outono de 1901, estava com apenas 22 anos. Essa tela, segundo especialistas, aborda o tema solidão. “Integra uma série na qual o pintor mostra a figura de mulheres sós e em pose de recolhimento, acompanhadas tão somente por um copo de absinto ou um cigarro como em Mulher com os braços cruzados, Mulher com laço, Mulher com cigarro, A bebedora adormecida ou Cortesãs no bar.

A vida – Óleo sobre Tela – 197 x 127,3 cm – Se encontra no Museu The Cleveland Museum of Art – Cleveland – EUA
Essa tela é uma das mais importantes do período azul. Ela foi pintada em Barcelona, em uma fase de Picasso de muito entusiasmo.
“Repleto de simbolismos, este quadro foi interpretado como uma alegoria do amor sagrado e do amor profano, do ciclo da vida e da carreira do pintor moderno. Talvez mescle tudo isso, e o dedo de Casagemas, como nas imagens de São João Batista, indique a mudança que será registrada na trajetória artística de Picasso”.

Com as lembranças de Casagemas em sua mente, Picasso pinta a tela acima, com o sinal de onde seu amigo deu o tiro. Esse quadro ficou guardado durante 50 anos, como se fosse algo de muito intimo para ajudar na elaboração da morte do amigo.
Nesse período, Picasso começa então a visitar e dirigir seus olhares para os lugares mais sombrios de Paris, a olhar toda as misérias do ser humano. Foram 3 anos de sofrimento, poucas vendas, falta de dinheiro, se sujeitando a viver com muitas necessidades, sendo até mesmo comentado que chegou a roubar pão de um ateliê de amigos.

 

O Período Rosa  de Pablo Picasso vai de 1905 a 1906. Foi um período muito curto e quase uma transição para o cubismo. Embora esse período em que se encontrava na boêmia pobre, Picasso se mostrava feliz e a pintura dele experimentou uma gradual transformação cromática e temática. “Aos poucos, a frieza do azul cede espaço para cores mais quentes.” Em 1905, Picasso visita rapidamente a Holanda, onde amplia as cores de sua paleta e começa a pintar nus. As suas telas desse período também foram compradas pelo marchand Vollard. É um momento onde Picasso, pela primeira vez, consegue desfrutar de uma situação financeira mais favorável.

A família de saltimbancos – Óleo sobre Tela – 212,8 x 229,6 cm – The National Gallery of Art – Washington -EUA
Durante esse período ele se interessou também com o mundo do circo, onde ele visitava frequentemente o circo Médrano, próximo a sua casa em Montmartre. A pintura a óleo A Família de Saltimbancos, é um destaque de seu período Rosa. “Também conhecido simplesmente por Os saltimbancos, o quadro foi o resultado de um longo e minucioso trabalho prévio, marcado por modificações e recomeços.”

Retrato de Gertrude Stein – Óleo sobre tela – 176 x 83 cm – 1906 – Metropolitan Museum of Art – Nova York (EUA)

Em abril de 1907, conclui uma de suas obras mais importantes e famosa do Pintor e de grande dimensão: Les demoiselles D’avignon. Esse quadro representava uma cena em um prostíbulo de Barcelona e uma das personagens foi inspirada em Fernande. Foram nove meses de trabalho sobre essa obra que revolucionou a história da arte.
Les Demoiselles D’Ávignon “acabava de estabelecer as bases de dois movimentos artísticos fundamentais do século XX: O cubismo e a pintura abstrata”.
Os amigos de Picasso ficaram chocados e não compreenderam a revolucionária obra. “Matisse, com quem Picasso mantinha séria rivalidade artística, afirmou que o quadro era cópia de sua Alegria de Viver (1906). Por fim, o pintor francês qualificou a tela de “confusa, abominável e amorfa”. Esse quadro ficou guardado em Bateau-Lavoir até o ano de 1916, quando foi exposto ao público pela primeira vez recebendo esse nome.

Les Demoiselles dÁvignon – Óleo sobre tela – 243,9 x 233,7 cm – 1907 – The Museum of Modern Art, Nova York (EUA)

 

O Cubismo
Ainda em 1907, Picasso conhece por intermédio de seu amigo Apollinaire, o pintor Georges Braque, que também era um admirados de Cézanne. Braque nesse ano já estava aplicando as fórmulas geométricas em suas pinturas. Assim, entre os anos de 1908 e 1904, essa dupla, com respaldo de Kahnweiler, deram origem ao Cubismo que vinha revolucionar a pintura.  Em 1909 “Braque e Picasso competiam no aprofundamento de um novo estilo chamado cubismo, baseado nos estudos de Cézanne.”. Picasso viajou a Horta de Sant Joan e, nas proximidades da montanha de Santa Bárbara, situava uma fábrica onde Picasso se inspirou para a realização dessa obra. Também em Horta de Sant Joan, o pintor executou outras pinturas como Casas na Colina, O moinho e o depósito.

Fábrica de Horta – Óleo sobre Tela – 284 x 336 cm – 1909 – Hermitage, São Petersburgo (Rússia)

Em 1910, Picasso resolve retratar os seus amigos marchants pela ordem em que os tinha conhecido, pintando Ambroise Vollard, Wilhelm Uhde e Daniel – Henry Kahnwieller. A obra do Retrato de Ambroise Vollard é corresponde ao período cubismo Analítico.

Retrato de Ambroise Vollard – Óleo sobre Tela 92x65cm – Museu Pushkin, Moscou (Rússia)

Em 1917 vai a Roma com Jean Cocteau para criar cenografia para o balé Parade, dirigido pelo grupo de Diaghilev dos Balés Russos. Mantém contato com o mundo do teatro. Lá encontra-se com Igor Stravinsky e conhece Olga Koklova, com que se casa.
Em 1920 faz os cenários para Pulcinella, de Igor Stravinsky. Surgem temas clássicos em seus trabalhos.

 

 

 

2 thoughts on “Pablo Picasso – Um gênio da pintura

  1. Dizem os críticos que o mundo jamais foi o mesmo, depois de Picasso. Ele estilhaçou o mundo visual de forma sensual e bela.
    O gênio de Picasso foi talhado para horizontes amplos e em criatividade pura e simples e, no sentido prolífico do termo, nenhum pintor foi superior a ele.
    Um dos artistas mais originais e versáteis. Dono de uma personalidade poderosa.
    Durante todo o século XX, as pessoas ficaram fascinadas ou escandalizadas com a obra de Picasso, sem terem certeza do valor definitivo que ela teria.
    As telas vistas foram muito bem escolhidas.
    Relevo que a amante que mais lhe inspirou a arte mais encantadora foi Marie-Théresè Walter, uma moça corpulenta e plácida com cujas formas arredondadas ele dizia que adorava brincar na tela. Neste enfoque, as telas tinham uma profundidade genial.
    Eu sempre reitero que é muito bom ter e viver a arte por aqui. Aplausos.

  2. Pablo Picasso nasceu para horizontes mais vastos. Em criatividade, ninguém o superou.
    Sua fase azul corresponde aos seus anos de pobreza. Suas obras são muito avultadas e enigmáticas, revelando a perícia gráfica do autor. Sua arte é bem emocional, refletindo seus humores.
    Os quadros acostados são de uma beleza profunda. Seu cubismo sintético é de o seu espectador perder o fôlego.
    Admirável artigo. Um mergulho circular no cubismo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *